Empréstimo FinanZero: Opção indicada para autônomos e sem burocracias!

O aumento pela busca de empréstimos se tornou uma realidade durante a pandemia. Isso não acontece à toa: o Brasil enfrenta um momento de crise econômica e política, altos níveis de desemprego, cortes de salários e, de uma forma geral, falta de renda entre a população. Para quem é profissional autônomo e está em busca de crédito, uma opção é o Empréstimo FinanZero. 

Com a promessa de ser acessível, sem burocracia e direcionada para profissionais que não têm carteira assinada, o Empréstimo FinanZero oferece crédito de forma digital, pelo computador ou telefone celular. O processo, feito pela internet, avalia as propostas e mais de 40 instituições financeiras parceiras e repassa ao cliente as melhores. 

Publicidade

Publicidade

Entre elas está o Santander, Banco Pan, Banco Inter, Creditas, Ferratum Money, Noverde, Rebel, Simplic, Banco DayCoval, Biz, BCredi,  VirtusParty, Lendico, Bari, Cetelem, Click Cash, Focus Financeira, entre outros.

Ficou curioso? Então dá uma olhada em mais detalhes sobre esse sistema, que pode poupar tempo de muitos autônomos pelo Brasil!

Como realmente funciona o Empréstimo FinanZero?

mão colocando moeda dentro de cofrinho em formato de porquinho
Veja como realmente funciona o Empréstimo Finanzero: de como solicitar crédito até as formas de pagamento. (Imagem: CottonBro/Divulgação)

O Empréstimo FinanZero possibilita alguns benefícios para o contratante, especialmente para aqueles que têm dificuldades em conseguir um empréstimo por não terem vínculo empregatício com uma empresa formal. Ele faz um levantamento de linhas de crédito em várias instituições que possibilitam as seguintes características:

Publicidade

Publicidade

  • Algumas linhas são acessíveis para quem está negativado; 
  • Não é preciso ter CNPJ;
  • Não é necessário apresentar garantias;
  • Taxas de juros a partir de 1,49% ao mês;
  • Até 24 vezes para pagar;
  • Limite de até R$ 35 mil.

Todos os clientes estão sujeitos à análise de crédito.

Veja o passo a passo para se cadastrar em um Empréstimo FinanZero:

  1. Entrar no site da FinanZero;
  2. Selecionar  opção “Empréstimo Pessoal”;
  3. Informar o valor que deseja emprestar e em quantas parcelas pretende financiar;
  4. Inserir os seus dados pessoais;
  5. O cliente vai receber propostas de até dez instituições financeiras para avaliar qual combina mais com o perfil dele;
  6. Escolha a melhor oferta;
  7. O cadastro pessoal será aprovado. Quanto mais informações fornecidas, mais chances disso acontecer;
  8. Assinar o contrato de forma online;
  9. Pronto, o dinheiro está na sua conta!

Qual opção de pagamento escolher para o Empréstimo FinanZero?

A FinanZero recebe lucros por meio das empresas parceiras, que pagam uma comissão sobre os contratos fechados. Conforme estabelecido pelo Banco Central, o FinanZero não faz nenhuma cobrança antecipada, antes do dinheiro ser depositado na conta do cliente. Ainda sim, ele cobra uma taxa pelos serviços que proporciona, que é diluída nas parcelas pagas pelo contratante. 

Sobre o pagamento das parcelas por parte do cliente que conseguiu o empréstimo: essa ação pode ser feita via boleto bancário, débito em conta ou carnê. A melhor opção varia de acordo com o que o contratante prefere. 

Muitas pessoas solicitaram empréstimos durante a pandemia de covid-19?

Um levantamento realizado pela fintech de crédito pessoal Lendico, mostra que 43% dos empréstimos pessoais solicitados em 2020 foram motivados por conta da pandemia de covid19, seja de forma direta ou indireta. 

Cerca de 70% dos entrevistados pediram crédito pela primeira vez na vida no ano passado. Os principais motivos para que isso acontecesse foram:

  • 45,4% perda de renda parcial de renda;
  • 16% perda total de renda;
  • 14% compra de itens necessários para o momento, como móveis para fazer home office, por exemplo;
  • 12,3% ajudar a um familiar/pessoa próxima;
  • 7,7% gastos com saúde;
Publicidade

Publicidade

Em janeiro de 2021, as razões mudaram um pouco:

  • 38% para pagamento de dívidas;
  • 31% para empreendedorismo;
  • 14% para gastos com imóveis, como na compra de mobília, aquisição de uma casa ou refinanciamento. 

Empréstimos para fins específicos de lazer ou educação, por exemplo, sofreram baixa:

  • -50% para viagens;
  • -31% para gastos com educação;
  • -13% para comprar produtos como eletrônicos e eletrodomésticos.

A pesquisa da Lendico mostra também que muitos jovens começaram a  procurar crédito nos últimos meses.

“Se somarmos as duas primeiras faixas etárias, vemos que os brasileiros que se encaixam nas chamadas gerações X e Millennials foram os que mais solicitaram empréstimos em nosso sistema no ano passado. É, visivelmente, um extrato da população economicamente ativa que viu no empréstimo on-line uma forma de obter auxílio para continuar seus negócios, tomar controle e reorganizar suas finanças pessoais”, afirma o presidente da Fintech, Marcelo Ramalho. 

Publicidade

Fontes: Plusdin  e Valor Investe

Publicidade

Marina Darie
Formada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário