Presente do Dia dos Pais fica 7,8% mais caro e injetará R$ 6,03 bilhões na economia

Mais uma data comemorativa vem aí para agitar o comércio brasileiro: o Dia dos Pais, que será celebrado no dia oito de agosto. Mas será que a população está preparada para gastar? Quais são as previsões para o comércio?

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), este Dia dos Pais terá o maior faturamento desde 2018. A previsão é de que o volume de vendas seja de R$6,03 bilhões. 

Publicidade

Publicidade

Essa data comemorativa é considerada a quarta mais importante do ano e teve o pior resultado em vendas em 13 anos em 2020, com a pandemia de covid-19. 

A expectativa é de que desta vez, os comerciantes consigam vender mais, mesmo com alguns impedimentos. 

Nesse quesito, os pais deram mais sorte que as mães neste momento, pegando a economia um pouco mais favorável, embora a questão do preço e do crédito mais caro sejam uma certa âncora para um crescimento um pouco menor do que poderia ser se a inflação não estivesse alta. A recuperação seria bem mais rápida”, disse Fabio Bentes, economista sênior da CNC, em entrevista à Agência Brasil.

Como estão os preços dos presentes do Dia dos Pais?

Venda de presentes para o Dia dos Pais deve ser positiva neste ano
Veja qual é a previsão para a compra de presentes para o Dia dos Pais deste ano. A CNC aponta maior faturamento para o comércio desde 2018. (Imagem: Valter Campanato / Agência Brasil)

A CNC realizou uma pesquisa de preços entre os bens e serviços mais populares na época do Dia dos Pais. O conjunto de todos os produtos pesquisados teve crescimento de 7,8% em relação ao ano passado. Essa é a maior variação registrada desde 2016.

Publicidade

Publicidade

Os maiores aumentos foram registrados em:

  • Televisores (22,3%);
  • Bebidas alcoólicas (11,8%);
  • Perfumes (10,5%).

Os preços ficaram estáveis em:

  • Livros (1,7%);
  • Aparelhos de som (1,3%).

Ao todo, a CNC analisou 13 itens. 

O setor de vestuário deve ser um dos mais beneficiados neste ano. A previsão é de que as lojas que vendem roupas faturem  R$ 2,43 bilhões. Esse montante é equivalente a 40,2% do total estimado para 2021. 

Três Estados devem ser os responsáveis por mais da metade (56,6%) das vendas para o Dia dos Pais:

  • São Paulo, com R$ 2,15 bilhões;
  • Rio de Janeiro, com R$ 632,1 milhões;
  • Minas Gerais, com R$ 629,3 milhões.

Já os Estados que devem ter as maiores altas nas vendas para esta data, de acordo com a CNC, são:

  • Paraná (15,0%);
  • Rio Grande do Sul (14,4%);
  • Distrito Federal (14,3%);
  • Santa Catarina (12,5%).

Onde as compras dos presentes vão ser feitas para essa data?

Publicidade

Publicidade

Mesmo com a flexibilização do horário do comércio em várias cidades brasileiras, a expectativa é de que a população ainda compre bastante pela internet. Uma pesquisa feita pela Bare International em julho indica que 40% dos entrevistados que já compraram ou pretendem comprar presentes, dão preferência ao comércio eletrônico.

Um pouco mais de 30% dos participantes afirmaram que vão fazer as compras presencialmente e 25% ainda não tomaram uma decisão. 

Recentemente, em outro levantamento identificamos que as pessoas ainda têm uma grande necessidade de provar, testar, conhecer e ter mais informações sobre produtos. Porém, num primeiro momento, a maioria alegou que houve forte mudança em suas formas de compra, uma vez que o e-commerce se tornou a principal alternativa quando a pandemia estava no auge”, explica a gerente de contas da Bare Brasil, Kamilla Melo.

Na hora de fazer o pagamento, a maioria dos entrevistados, vão escolher o cartão de crédito. 

Na pesquisa específica do Dia dos Pais deste ano, chamou atenção o meio de pagamento indicado pela maioria. 64% dos entrevistados afirmaram que vão utilizar o cartão de crédito, que é a forma mais comum quando se trata de vendas na internet, já que, presencialmente, os lojistas costumam oferecer condições melhores para quem paga em dinheiro. Até pouco tempo atrás, sempre foi dito por muitos consumidores sobre o receio em fornecer esse tipo de dado em sites e aplicativos, por causa de fraudes, mas com a pandemia e a necessidade de adquirir produtos e serviços apenas pelo meio digital, as pessoas viram que dá pra confiar, tomando, é claro, os devidos cuidados”, afirma Kamilla. 

Outras modalidades de pagamento que serão utilizadas são:

  • Cartão de débito (20%);
  • Dinheiro (6%);
  • Aplicativos de pagamento (4%);
  • Pix (2%). 
Publicidade

Fonte: Agência Brasil

Publicidade

Formada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário