Operação contra corrupção no Detran MG prende 15 servidores

Veja como funcionou a operação do Detran MG que prendeu 15 servidores públicos por corrupção, aqui neste artigo exclusivo do No Detalhe.

A operação realizada no Detran MG prendeu cerca de 15 servidores, além de haver outros 58 mandatos, somente 9 foram contra policiais e servidores que trabalham nesta instituição há muito tempo. Esta operação ocorre há muitos anos e conta com diversos outros crimes com relação às investigações da corregedoria.

Investigação por corrupção entre delegado e servidores Detran-MG

Semana passada a Corregedoria da Polícia Civil de MG entrou com a operação Seca Fonte para trabalhar contra a corrupção instaurada no Detran MG, desde os anos de 2010 e passaram por outra leva de investigações no ano de 2019 com a operação Cataclisma.

Publicidade

Publicidade

 

Operação contra corrupção no Detran-MG prende 15 servidores interna
Fonte/Reprodução: Original

Esta operação conta com 58 mandados de busca e 15 de prisão, e cerca de 9 foram expedidos contra policiais e outros servidores da instituição Detran-MG.

Quais os crimes por corrupção ligados a investigação do Detran-MG?

Estes crimes contam com corrupção ativa, passiva, falsidade ideológica e ocultação dos valores, em conjunto de organizações criminosas sem existir a tipificação de outras novas condutas durante todo o processo de investigação no Detran-MG.

Publicidade

Publicidade

Detran MG: outras investigações apontam que é antigo o sistema de corrupção

Estes crimes ocorrem desde os anos de 2010 a 2012, onde houve fraudes no sistema do Detran MG, e somente nesta investigação ocorreram 59 indiciados, um deles era um investigador da Polícia Civil de MG, cerca de 10 membros de autoescolas e outras 48 pessoas que obtiveram suas CNH irregularmente.

Por meio de informações da delegada Ana Paula da Silva y Fernandez, a corrupção no Detran-MG ocorre novamente desde o ano de 2019, informações descobertas através de uma transmissão por rádios nas redes sociais ligadas às irregularidades.

Propina no Detran MG

Este esquema é investigado há três anos através do Ministério Público de Minas Gerais (MP MG), em que envolve o recebimento de propina, para ser possível liberar e transferir os veículos, peças e equipamentos, além de haver participação nos lucros.

Essas investigações ocorrem desde o ano de 2010, somente 11 anos mais tarde houve a devida prisão dos criminosos e policiais que receberam propina, assim como as autoescolas que cobravam valores entre R$ 1.000,00 a R$ 2.500,00.

Por fim, em conjunto do Gaeco e Promotoria da Vara de Inquéritos, ocorrerão outras investigações em sigilo, para poder compreender as informações e procurar agir o mais rápido possível para finalizar esta operação.

Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.
FacebookLinkedinTwitter

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário