PIX: quais bancos cobram para usar o serviço?

O PIX se tornou um dos principais meios de transferência de valores entre contas bancárias. Não é para menos, afinal, possibilita a movimentação em poucos segundos e de maneira gratuita.

Mas, existem alguns casos em que o PIX pode ser cobrado. Aqui, indicamos quais são essas situações e quais bancos cobram taxa para realizar o serviço. Confira!

Publicidade

Publicidade

pix cobrança

O que é o PIX?

Trata-se de uma modalidade de pagamento e transferência de valores entre contas instantaneamente e digitalmente. O serviço foi criado pelo Banco Central (BC) e pode ser utilizado a partir da conta corrente, conta poupança e conta de pagamento pré-paga.

Qual a diferença entre o PIX e demais serviços de transferência?

A principal diferença é a realização da transação em poucos segundos, ou seja, o dinheiro cai na conta quase que imediatamente. Com o TED e DOC, isso pode demorar a partir de um dia útil.

Além disso, possui o diferencial de ser gratuito para pessoas físicas. Já para pessoas jurídicas, o custo do serviço costuma ser mais baixo do que o TED ou DOC.

Publicidade

Publicidade

Quando o PIX pode ser utilizado?

Há diversas situações em que o PIX pode ser utilizado, sempre agilizando transações financeiras. A seguir, indicamos quais são as principais:

  • Transferência entre contas bancárias de mesma titularidade ou não;
  • Pagamento de compras e serviços;
  • Recolhimento de receitas de órgãos públicos federais, de contribuições de FGTS e sociais.

Qual o limite de valor de transações PIX?

Não existe limite mínimo de valor para realizar transações via PIX. Portanto, você pode transferir a partir de R$ 0,01. De maneira geral, também não há limite para valores máximos.

Mas, os bancos têm liberdade para estabelecer um limite máximo considerando o perfil de seu cliente. O Banco Central liberou isso para mitigar riscos de fraude e lavagem de dinheiro.

Mesmo assim, se sua conta tiver limite máximo diário dá para ajustá-lo diretamente no aplicativo do banco. Em casos de aumento, pode ser que o pedido passe por uma análise. Já em pedidos de redução do limite, a liberação é imediata.

Como funciona o PIX?

O PIX tem como diferencial a utilização de um método de identificação para realização das transações. Na prática, isso significa que ao invés de informar dados como agência, número de conta e dados pessoais do recebedor, basta solicitar sua chave PIX para realizar a transação.

Essa chave pode ser seu CPF, CNPJ, número de celular, e-mail, QR Code ou uma sequência alfanumérica que é gerada aleatoriamente no aplicativo do banco.

Publicidade

Publicidade

Depois de informar a chave PIX do recebedor e valor da transação, basta conferir os dados e confirmar o serviço. Lembre-se que a transferência não poderá ser cancelada, exceto em casos especiais.

O serviço de transferência e pagamento PIX está disponível na tela principal do aplicativo do banco em que possui conta corrente ou poupança.

Quando o PIX é pago?

De acordo com o Banco Central, o PIX pode ser cobrado quando for feito em um canal de atendimento presencial (como no caixa de um banco) ou telefônico.

Além disso, as instituições financeiras podem cobrar pelo PIX se a transação for utilizada para pagamento de um produto ou serviço vendido por pessoa física, jurídica ou MEI (Microempreendedor Individual).

Publicidade

O modelo de precificação do serviço e tarifas podem ser definidos com autonomia pelas instituições financeiras, mas o valor final deve ser informado ao cliente no comprovante da transação.

Publicidade

Qual o valor do PIX?

O valor do PIX, quando cobrado, varia entre os bancos. A seguir, indicamos quanto cada um deles cobra para realizar a transação pessoalmente ou por telefone, bem como de empresas:

Tarifas PIX de transferência

  • Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com mínimo de R$ 1,00 e máximo de R$ 10,00;
  • Bradesco: 1,4% do valor da transação, com mínimo de R$ 1,65 e máximo de R$ 9,00;
  • Itaú: 1,45% do valor da transação, com mínimo de R$ 1,75 e máximo de R$ 9,60;
  • Safra: 1% do valor da transação, com mínimo de R$ 1,50 e máximo de R$ 9,90;
  • Santander: 1% do valor da transação, com mínimo de R$ 0,50 e máximo de R$ 10,00.

Tarifas PIX de recebimento

  • Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com máximo de R$ 140,00;
  • Bradesco: 1,4% do valor da transação, com mínimo de R$ 0,90 e máximo de R$ 145,00;
  • Itaú: 1,45% do valor da transação, com mínimo de R$ 1,00 e máximo de R$ 150,00;
  • Safra: 1,3% do valor da transação, com mínimo de R$ 1,50 e máximo de R$ 150,00;
  • Santander: R$ 6,54 ou 1,4% do valor da transação, com mínimo de R$ 0,95.

Flavio Carvalho
Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.
FacebookLinkedinTwitter

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário