3 dicas para renegociação de dívidas que você precisa levar em consideração

Conheça algumas dicas importantes para se considerar na hora da renegociação de dívidas e buscar sua saúde financeira.

Com o índice de endividamento atingindo altos níveis no Brasil, a renegociação de dívidas se torna uma estratégia cada vez mais interessante para colocar as contas em dia, e vale a pena conferir algumas dicas para este tipo de situação.

Eventos como o Feirão Serasa Limpa Nome, por exemplo, que permite quitar dívidas com até 99% de desconto, aparecem como opções vantajosas nesse cenário.

Publicidade

Publicidade

Mas renegociar dívidas requer alguns cuidados para que não haja erros, e a seguir você confere dicas importantes para estas situações.

1 – Conheça e considere sua realidade financeira

3 dicas para renegociação de dívidas que você precisa levar em consideração
Confira algumas dicas para se considerar em casos de renegociação de dívidas. Foto: Canva

Para renegociar dívidas, a primeira coisa a se fazer é saber o tamanho delas. Por isso, separe seus débitos em aberto, anote os valores em questão, faça uma ordem de prioridade e destaque as que cabem negociação.

Além disso, calcule também até quanto você pode pagar para renegociar as dívidas. Nesse caso, é importante ter em mente que o valor negociado realmente tem de ser pago em dia, senão gerará uma nova dívida e a estratégia pode perder seu efeito.

Publicidade

Publicidade

2 – Tenha uma estratégia de renegociação de dívidas

Sabendo dos valores e condições que você pode pagar, é preciso planejar uma estratégia de negociação. Para isso, é importante demonstrar segurança, para mostrar que o acordo será cumprido.

Aqui vale a pena destacar questões como segurança para pagamentos à vista e alternativas para casos de atraso nos boletos, por exemplo.

3 – Quite dívidas antigas e evite novas

Se houver a possibilidade de quitar o valor de uma só vez, priorize este tipo de situação. Para ter dinheiro em mãos, há opções como empréstimos consignados, que têm taxas mais baixas, e até mesmo o saque extraordinário do FGTS que podem ajudar.

Mas se o pagamento à vista não for possível, outra alternativa é diluir os débitos em parcelas acessíveis.

Além disso, durante e após o pagamento das dívidas é importante evitar novas pendências. Por isso, além de tomar cuidado com empréstimos para quitar os débitos em aberto e manter os pagamentos em dia, procure controlar a rotina de gastos para conhecer bem sua realidade financeira e impedir que as contas fujam de controle.

Jornalista, ator profissional licenciado pelo SATED/PR e ex-repórter do Jornal O Repórter. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedinTwitterYoutube

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário