Conta digital conjunta: Como funciona? Quais são suas vantagens e desvantagens?

Abrir conta conjunta é o desejo de muitos casais e outros tipos de pessoas que veem nessa modalidade uma forma de otimizar gastos. Mas será que os novos bancos já oferecem conta digital conjunta aos seus clientes?

Até pouco tempo atrás a resposta para essa questão era não, porém, atualmente já existe um banco digital que oferece a opção de conta conjunta, o Digimais.





A conta digital conjunta da Digimais funciona de forma semelhante a uma conta-corrente normal. Com ela os titulares podem realizar transações como pagamentos, transferências, solicitações de cartões de crédito, financiamentos entre outras coisas.

Todos os serviços da conta digital conjunta podem ser acessados pelo aplicativo do banco Digimais pelos seus titulares, que obtém controle de todas as movimentações. Até mesmo a abertura desse tipo de conta é feito pelo aplicativo do banco digital de forma completamente online.

A Digimais não exige que os titulares tenham qualquer grau de parentesco para a aprovação do processo. Só é necessário que um deles já possua conta-corrente com o banco e convide o outro a compartilhá-la.





A conta digital conjunta não cobra tarifas de seus usuários e  possui vantagens como:

  • Não ter restrições para pessoas negativadas;
  • Não ser necessário a comprovação de renda;
  • Transferências por TED e DOC são isentas de taxas;
  •  Direito a cartão de crédito;
  • Consultas, solicitações e outras atividades podem ser realizadas inteiramente de forma online.

Agora que você já conhece a conta digital conjunta da Digimais, que tal saber exatamente como funciona no geral essa modalidade de conta na maioria dos bancos? Vamos lá!

Veja também: Banco Inter: Confira a promoção de cashback e compras com até 60% de desconto!

Como funciona uma conta conjunta digital ou tradicional

casal segurando cofrinho em forma de porquinho
Conta digital conjunta permite maior controle sobre as finanças (Imagem: Reprodução)

A conta conjunta é um tipo de conta-corrente que pode ser dividida entre duas ou mais pessoas que possuem acesso às transações bancárias como em uma conta comum.

É uma alternativa bastante utilizada por casais ou mesmo familiares que possuem objetivos em comum e desejam otimizar o controle sobre os gastos gerais da família. Apesar de o mais comum ser que esse tipo de conta seja compartilhado por pessoas com vínculos familiares, nada impede que amigos também decidam abrir uma conta digital conjunta entre si.

Tipos de conta e como funcionam

Existem dois tipos de conta conjunta os quais os interessados nessa modalidade podem abrir:

Conta conjunta solidária





Na conta conjunta solidária todos os titulares conseguem movimentar os recursos investidos sem precisar da autorização dos demais.

Esse formato entrega total autonomia aos correntistas e dá vazão ao “bom-senso” de cada um, visto que é possível realizar transferências, saques, pagamentos e outras funções de forma totalmente independente.

Conta conjunta simples ou não solidária

Nesse formato todas as transações realizadas precisam ter a autorização dos outros titulares da conta. Ou seja, toda a movimentação precisa ser conhecida e aprovada pelos responsáveis por ela, do contrário não acontece.

A aprovação para transações em contas simples ou não solidárias acontece através da assinatura de um documento.



Esse tipo de conta é ideal para aquelas pessoas que desejam garantias sobre o controle do montante depositado e é muito utilizada por pais e filhos que desejam ter total atenção sobre as despesas de um ou outro.



Vantagens de se ter uma conta digital conjunta

Compartilhar algo tão intimo como uma conta bancária pode oferecer algumas vantagens, especialmente se a opção for digital.

Por exemplo, para casais que tem um objetivo em comum pode ser mais fácil guardar o dinheiro necessário combinando as economias e tendo um acordo de não movimentação dessa conta.

Ou ainda, para filhos com pais idosos que precisam de maior auxílio com suas despesas, a conta digital conjunta permite que todas as informações de movimentação sejam acessadas de forma rápida e fácil a qualquer hora do dia.





Outra vantagem é justamente o acesso inteiramente digital que polpa tempo dos correntistas e otimiza a resolução de problemas com a instituição.

Desvantagens de se ter uma conta digital conjunta

Ainda que as fintechs praticamente ofereçam todos os recursos dos bancos tradicionais, a maioria delas ainda não possuem opção de conta digital conjunta por, simplesmente, não ser o foco do público-alvo dessas instituições.

A maior parte de quem acessa bancos digitais ainda é o público mais jovem para quem todas as funções acabam sendo simplificadas. Uma conta conjunta pode oferecer mais burocracia do que esses clientes procuram e por isso não tem prioridade junto a esses bancos.

O fato ter todas as suas movimentações acessadas por outra pessoa, ou até mesmo vetadas, a depender da escolha por uma conta simples ou não solidária, não parece muito atrativa para algumas pessoas.

Da mesma forma, as desavenças que podem ser geradas nos casos de algumas transações não serem do gosto de todos os titulares em contas solidárias, também podem acabar sendo um impasse desse modelo.

Sendo assim, essas se apresentam como as principais desvantagem de se ter uma conta digital conjunta.

Fonte: Plusdin

Veja também: Pis/Pasep: Trabalhadores receberão dois saques em 2022 – Entenda mais

Aline Resende
Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário