Dívidas: elas realmente deixam de existir depois de 5 anos? Tire essa dúvida!

O número de brasileiros inadimplentes é um problema frequente no país. Porém, uma das coisas nas quais muitas pessoas se agarram é a certeza de que as dívidas deixam de existir depois de 5 anos da compra feita. Mas será que essa informação está correta?

Segundo dados do Serasa Experiam, até o mês de dezembro do ano passado, 61,4 milhões de brasileiros estavam em situação negativada. O número prevalece alto, ainda que a instituição também aponte que houve queda de 3,1% em comparação ao mesmo período de 2019.

Publicidade

Publicidade

Para tentar frear esses endividamentos, o Serasa e outras instituições têm feito frequentes ações chamadas de “limpa nome”. Com elas é possível fazer o renegociamento de dívidas e tentar acordos que facilitem o pagamento das contas do devedor.

A questão das dívidas desaparecem depois de 5 anos de inadimplência não está exatamente correta. Isso porque a instituição financeira que sofreu o calote pode continuar com as cobranças.

O que acontece é que depois de 5 anos as dívidas prescrevem. Dessa forma, o nome e CPF do devedor voltam a ficar regularizados e ele não pode mais ser acionado judicialmente por causa dessa dívida.

Publicidade

Publicidade

Apesar disso, a dívida continua a existir e pode até mesmo continuar ganhando juros. Sem falar que, mesmo não estando mais negativado, o nome do indivíduo fica para sempre em uma lista de clientes não confiáveis, podendo impedir que a pessoa consiga crédito junto a instituições financeiras.

Esse fato de ficar marcado pode afetar o pedido de financiamento de imóveis, empréstimos e até mesmo a solicitação de cartões de crédito, mesmo depois de passados os 5 anos das dívidas.

Para além das consequências futuras, é necessário pesar todos os riscos que não pagar uma dívida representam durante esses 5 anos. Entenda melhor todos os pontos relacionados a negativação nos tópicos a seguir.

Veja também: Simples Nacional: Empresas podem negociar dívidas. Confira como!

Riscos ao não pagar uma dívida

mulher analisando papéis

Até que a conta não paga prescreva, o devedor pode sofrer inúmeras consequências a depender, principalmente, do tipo de dívida contraída por ele.

As mais sérias são aquelas onde o indivíduo deve diretamente para o banco. Empréstimos, financiamentos e outras dívidas que costumam ter altos custos são as que podem dar mais dor de cabeça.

Publicidade

Publicidade

A instituição financeira pode acionar o devedor judicialmente e nesse caso, o prazo de 5 anos para prescrição e caducamento da dívida caem por terra. Nesse caso o que irá contar é o tempo do processo e o fechamento, ou não, de um acordo entre instituição e devedor.

O maior perigo é a justiça entender que o devedor precisa honrar esse pagamento de qualquer maneira. Nesses casos, em medidas extremas, o tribunal pode bloquear os bens do devedor até que seja feita a quitação da dívida. Ter veículos e até mesmo imóveis leiloados para a quitação do pagamento também são consequências possíveis em casos extremos.

Mas claro que essas situações são menos comuns, e na maioria das vezes quando acionado judicialmente a instituição que cobra consegue oferecer um acordo para que o devedor consiga efetuar o pagamento de forma menos dramática.

Para além de tudo isso, outras consequências que a pessoa enfrenta enquanto está negativada, independente de qual seja a sua dívida, são:

  • Não conseguir crédito para efetuar compras parceladas em carnês;
  • Dificuldade em conseguir um cartão de crédito;
  • Dificuldade para abrir conta-corrente;
  • Impossibilidade de fazer financiamento de veículo ou imóvel;
  • Dificuldade em conseguir alugar um imóvel;
  • Bloqueio do cheque especial;
  • Entre outras coisas.

Como saber se você está negativado

Publicidade

Se você acha que pode estar com algum tipo de restrição por conta de dívidas, é possível consultar a sua situação no site da Serasa. Veja como fazer isso seguindo o passo a passo abaixo:

Publicidade

  1. Primeiro acesse o site;
  2. Na tela inicial do site você deve clicar sobre o botão “Consultar CPF grátis”;
  3. Agora digite apenas os números do seu CPF e clique em confirmar;
  4. No formulário que irá abrir você deve preencher todos os campos solicitados: nome completo, data de nascimento, e-mail, e uma senha com 8 caracteres. Por fim marque a opção de “Declaro que li e aceito os termos” e em seguida clique no botão “Criar conta grátis”.
  5. Pronto, agora basta acessar a conta que você acabou de criar utilizando o seu CPF e senha e clicar no menu “Meu CPF”;
  6. Nesse menu você poderá ver se existe alguma restrição, protesto em seu nome ou ações judiciais pelo não pagamento de dívidas.

Além da consulta ao seu CPF, com o cadastro no Serasa o indivíduo também consegue consultar o seu score. O score é basicamente um ranking que mede o nível de confiabilidade de uma pessoa em relação ao pagamento e suas dívidas.

Praticamente todas as instituições financeiras consultam o score da pessoa antes de fazer a liberação de ferramentas de crédito a ela. Por isso é importante manter as dívidas em dia para que o score sempre esteja em altos níveis de confiança.

Outra coisa interessante da plataforma é que é possível saber se há alguma oferta de cartão de crédito e qual seria o limite do mesmo para o interessado.

Publicidade

Publicidade

Fonte: Serasa Experian

Veja também: Bolsa Família: Relembre as mudanças para os beneficiários com o Auxílio Emergencial

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Uninter. Trabalha na área de comunicação como Social Media e Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para material publicitário.
Linkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário