Para evitar apagão governo federal estuda dar descontos para quem economizar energia

O governo federal avalia criar mecanismos para incentivar que a população reduza o consumo de energia elétrica, como o oferecimento de descontos para quem poupá-la. Confira, aqui, quais são os planos em estudo!

Linhas de transmissão de energia

Qual é o plano do governo federal para descontos de energia elétrica?

A solução que o governo estuda é dar desconto ou oferecer um bônus na conta de energia elétrica para quem conseguir reduzir o consumo da unidade de maneira voluntária, por um período determinado.

Publicidade

Publicidade

A medida partiu do Ministério de Minas e Energia devido à crise hídrica que o país enfrenta. O desconto serviria como uma medida para fazer com que mais brasileiros passassem a ter um consumo mais eficiente de energia elétrica.

Se o desconto realmente for implementado, o governo pretende lançar uma campanha nacional de uso de energia elétrica e de água, uma vez que os níveis dos reservatórios ainda continuam baixos.

O governo trabalha, ainda, com a possibilidade de implementar um programa para reduzir a demanda de energia elétrica de grandes consumidores em horários de pico, ou seja, entre as 12h e 18h de dias úteis.

Publicidade

Publicidade

A proposta deve atingir principalmente consumidores regulados, que são residências e comércios que pagam tarifas reguladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os consumidores livres, por sua vez, negociam a compra de energia elétrica diretamente com a empresa geradora.

O governo deve encaminhar um mecanismo de incentivo para os consumidores ainda em agosto ao Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) e à Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética).

Mas, a possibilidade de desconto ou bônus ainda está no papel. Para que seja implementada, o governo teria de encontrar recursos para compensar as empresas, para que as geradoras de energia não tenham um déficit nas contas.

Brasil tem risco de apagão?

O país enfrenta sua pior crise hídrica para geração de energia elétrica em 91 anos, devido ao baixo volume de chuvas nas regiões dos principais reservatórios do país.

Embora o governo ainda não tenha confirmado, muito se especula sobre a possibilidade de um apagão no país, como o que aconteceu em 2001, ano em que o governo federal realizou blecautes programados para evitar o colapso do sistema elétrico.

Na ocasião, o governo incentivou que famílias e empresas tomassem medidas para reduzir o consumo de energia, fez a iluminação parcial de vias públicas e proibiu eventos noturnos.

Publicidade

Publicidade

Vinte anos depois, especialistas do segmento de energia elétrica dizem que o Brasil passa por um novo risco de apagão e racionamento, sem ter capacidade de gerar energia em horários de pico, principalmente ao longo do segundo semestre de 2021.

Se o apagão de 2021 realmente ocorrer e copiar o do passado, o governo pode fazer cortes programados no fornecimento de energia elétrica. Em 2001, por exemplo, o Distrito Federal e mais 16 estados do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste passaram pelo racionamento, que durou nove meses.

Conta de energia elétrica mais cara

Quando as usinas hidrelétricas não produzem energia suficiente para assegurar a distribuição a todo o país, há o acionamento das usinas térmicas, que geram uma energia mais cara e mais poluente.

Como a empresa geradora da energia não quer ficar no prejuízo, ela repassa esse custo extra para o consumidor, com a cobrança de uma taxa específica, a bandeira vermelha ou amarela.

Publicidade

Atualmente, cobra-se a bandeira vermelha 2, que é a mais cara de todas. Se o acionamento das usinas termelétricas continuar necessário, a previsão é de que a conta de luz em 2022 e 2023 fique ainda mais cara, porque a tendência é que a Aneel faça o reajuste do valor para compensar as empresas geradoras.

Publicidade

Como economizar energia elétrica em casa?

Quer reduzir seu consumo de energia elétrica, mas não sabe como economizar? Então, confira as dicas que separamos e tente adotá-las em seu dia a dia:

  • Mantenha seu chuveiro na posição verão, desligue-o para se ensaboar e reduza o tempo de banho. Além disso, procure não o ligar quando estiver usando outros aparelhos, para não sobrecarregar a rede;
  • Troque lâmpadas halógenas ou fluorescentes por LED, evite acendê-las durante o dia e apague a luz ao sair do cômodo;
  • Não deixe sua TV ligada se ninguém estiver assistindo, muito menos seu computador se ninguém estiver utilizando;
  • Evite deixar aparelhos em standby, porque eles continuam consumindo energia;
  • Lave e passe roupas de uma vez, acumulando-as durante a semana.

Flavio Carvalho
Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.
FacebookLinkedinTwitter

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário