Pente Fino do INSS: Cortes começam a partir dessa semana. Cuidado para não perder o benefício

85 mil segurados precisam agendar perícia até 19 de novembro para não cair no pente fino do INSS. Veja o passo a passo para fazer isso.

Quem não quer passar pelo pente fino do INSS e perder o benefício que é distribuído pelo Instituto Nacional do Seguro Social, precisa ficar atento aos prazos da revisão de auxílio por incapacidade temporária. Os convocados precisam agendar uma perícia até o dia 19 de novembro.

Quem não fizer isso, vai passar pelo pente fino do INSS. O Instituto estima que 85 mil beneficiários precisam fazer a atualização do cadastro. Caso não o façam, eles vão perder o auxílio que recebem. O agendamento pode ser feito pelo aplicativo Meu INSS, site gov.br/meuinss ou pela Central 135, que funciona de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Publicidade

Publicidade

O INSS iniciou, em agosto, a revisão dos benefícios por incapacidade temporária mantidos sem perícia por período superior a seis meses e que não possuam data de cessação estipulada ou indicação de reabilitação profissional através do PRBI, Programa de Revisão dos Benefícios por Incapacidade.”, informa o Instituto.

Quem deve ficar atento para não cair no pente fino do INSS?

Agendamento de perícia deve ser feito até 19 de novembro para que beneficiários convocados não passem pelo pente fino do INSS. (Imagem: INSS / Divulgação)

Os beneficiários do antigo auxílio-doença e pessoas que estão há mais de seis meses sem passar por perícia médica e não têm data definida para cessação do benefício foram convocados para fazer um agendamento junto ao INSS. 

De acordo com o Instituto, em julho, cerca de 173 mil beneficiários foram convocados através de cartas para o endereço que consta no cadastro do segurado. Em setembro, a convocação foi feita pelo Diário Oficial da União, a 95 mil segurados que ainda não tinham agendado a perícia. Quem não fizer isso até o dia 19 de novembro, corre o risco de cair no pente fino no INSS.

Passo a passo para agendar a perícia

Os cidadãos que receberam a convocação para agendarem a revisão do benefício, devem fazer isso pelo site gov.br/meuinss, pela Central 135 ou pelo app Meu INSS. Neste caso, veja o passo a passo:

Publicidade

Publicidade

  1. Faça o login no aplicativo Meu INSS;
  2. Clique em “Do que você precisa?”;
  3. Escreva “Agendar Perícia”;
  4. Em seguida, clique em “Novo Requerimento”;
  5. Se for a primeira vez, selecione “Perícia Inicial”. Se já estiver com o benefício, clique em “Perícia de Prorrogação”;
  6. Siga as orientações que aparecem na tela;
  7. Informe os dados necessários para concluir o seu pedido.

Na data agendada para a realização da perícia, deverão ser apresentados os documentos pessoais, além de toda a documentação médica que o segurado disponha, tais como laudos com CID, atestados, receitas e exames recentes.”, reforça o INSS.

É possível que o beneficiário escolha em qual unidade do Instituto ele vai querer fazer a revisão. Após as 21 horas do dia da perícia, o resultado dela vai estar disponível no app Meu INSS, site gov.br/meuinss e pelo telefone 135.

Por que a perícia do INSS é feita?

A perícia do INSS tem como objetivo acabar com o benefício, caso o cidadão que receba o auxílio não se enquadre nos critérios necessários. Além disso, esse agendamento visa observar a condição de cada segurado, para que seja possível fazer um encaminhamento técnico e qualificado, com base nas seguintes medidas:

  • Estabelecer uma data de cessação futura, para acompanhamento permanente, de acordo com a manifestação do segurado;
  • Transformar em aposentadoria por invalidez, quando constatada a total impossibilidade de recuperação;
  • Encaminhar ao processo de reabilitação profissional ou mesmo cessar o benefício nos casos em que constatada a plena recuperação da capacidade laboral.

Se o cidadão não agendar a perícia dentro do prazo estipulado pelo INSS, que neste caso vai até o dia 19 de novembro, o benefício será suspenso. Ele só voltará a ser pago após o agendamento da perícia médica. Caso isso não aconteça, o pagamento será encerrado definitivamente.

Em situações em que o beneficiário participa da revisão do auxílio e discorda com o resultado, ele pode entrar com recurso, em até 30 dias, a partir da ciência do parecer do INSS. Quando a perícia do INSS dá alta para o cidadão e a empresa não quer aceitar a volta dele ao trabalho, o funcionário pode recorrer da decisão à Junta de Recursos da Previdência Social ou solicitar um novo benefício.

Formada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário