Renda Família Goiânia: Inscrições terminam dia 30/4 – Não perca o prazo!

renda família goiânia

O prazo para se inscrever no programa Renda Família Goiânia se encerra na próxima sexta-feira, dia 30 de abril. A princípio, as inscrições seguiriam até 31 de março, mas a Prefeitura de Goiânia prorrogou até o fim deste mês.

O programa é voltado a famílias da capital goiana em que todas as pessoas estejam desempregadas, e pagará seis parcelas de R$ 300 para os beneficiários. Para participar, os solicitantes não podem ter nenhuma renda ou receber apenas o Bolsa Família. Além disso, outro critério para participação é que a família more em uma casa de até R$ 100 mil em valor venal.

Publicidade

Publicidade

Para receber o benefício, os participantes recebem um cartão, que é entregue para a mulher responsável pela família e deve ser utilizado para compra de itens essenciais. Apenas uma família por imóvel pode receber o beneficio, e quem é MEI (microempreendedor individual) não tem direito.

renda família goiânia
Imagem: Prefeitura de Goiânia

Para facilitar o cadastramento de famílias, a Rede Atende Fácil aumentou o número de pontos de apoio. Agora são 15 escolas municipais distribuídas por diferentes áreas da cidade.

A expectativa da Prefeitura de Goiânia é atender 24 mil grupos familiares com o Renda Família. Após prorrogar o prazo de inscrição, a iniciativa conseguiu chegar a marca de 9 mil cadastrados. Deste grupo, 50% já recebeu o benefício, enquanto a outra metade está em processo de análise.

Publicidade

Publicidade

A prefeitura começou a entregar os cartões no dia 9 de março, e envia novas unidades à medida que cada processo é concluído. Os beneficiários podem utilizar o cartão em 648 estabelecimentos goianienses credenciados junto à empresa responsável pelo vale-alimentação.

As famílias não podem sacar o dinheiro creditado. As parcelas do benefícios são disponibilizadas a cada 30 dias, e a data do primeiro pagamento serve como referência para os demais.

Veja também: Programa Nota Fiscal Goiana – Governo oferecerá prêmios em dinheiro

Como se inscrever no programa?

Para se inscrever, os solicitantes devem acessar o site e seguir os passos indicados pelo site.

Caso o interessado prefira, também há a opção de inscrição presencial em uma unidade Atende Fácil. Mas nesse caso os interessados devem agendar um atendimento presencial a partir do mesmo link disponível acima, na opção “Agendar Atendimento”. O site também reúne mais informações sobre o programa para casos de dúvidas.

Além disso, para ajudar as famílias no processo de inscrição, a prefeitura disponibilizou nessa mesma página modelos de declaração para preenchimento. Os documentos servem para o cadastro e a comprovação de que as famílias vivem em residências locadas ou cedidas sem contrato formal, no caso de quem não tem imóvel no próprio nome.

Publicidade

Publicidade

Para consultar todas unidades de atendimento que estão recebendo inscrições, basta conferir nosso texto anterior sobre o Renda Família Goiânia. O texto conta com uma lista de todas as unidades Atende Fácil e Escolas Municipais onde é possível agendar o atendimento para se cadastrar.

Tanto na inscrição online quanto na presencial, os solicitantes precisam ter em mãos: o número de inscrição do imóvel, nomes e CPF de todas as pessoas da casa maiores de 16 anos, e contrato de aluguel ou declaração do proprietário se a residência for alugada. No caso das inscrições via internet, o documento deve ser digitalizado.

O atendimento para novas inscrições segue até 30 de abril, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Veja também: Casa Verde e Amarela – Corte de verbas causa paralisação de 200 mil unidades habitacionais

Quem pode participar do Renda Família Goiânia?

Publicidade

As regras para se inscrever no programa da prefeitura goianiense são as seguintes:

Publicidade

  • Ter mais de 18 anos;
  • Morar em imóvel com valor venal de até R$ 100 mil, seja ele próprio, alugado ou cedido;
  • Não ter fonte de renda capaz de suprir as necessidades básicas da família;
  • Ninguém da família pode ter vínculo de emprego formal ativo (via CLT) ou algum outro tipo de renda;
  • Ninguém da família pode ser titular de benefícios previdenciário ou assistencial (pensão por morte ou alimentícia, por exemplo), receber seguro-desemprego ou participar de programa de transferência de renda do governo federal, exceto o Bolsa Família;
  • O beneficiário não pode exercer atividades profissionais como Microempreendedor Individual (MEI).

Dependendo do caso, beneficiários do auxílio emergencial podem receber o Renda Família, desde que cumpram os demais requisitos do programa. Caso o titular perca o cartão, é preciso entrar em contato com uma unidade do Atende Fácil por meio do mesmo site já informado.

Fonte: Portal FDR

Felipe MatozoJornalista, ator profissional licenciado pelo SATED/PR e ex-repórter do Jornal O Repórter. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
Veja mais ›
Fechar