60% dos alunos da rede estadual voltaram às aulas presenciais em São Paulo

Com o retorno das aulas presenciais na última segunda-feira (02/08), o governo de São Paulo afirmou que 60% dos estudantes da rede estadual de ensino já voltaram para as salas de aula.

Ao todo, 3,5 milhões de alunos da rede estadual podem retornar para as aulas presenciais no estado. Nos dois primeiros dias após a retomada, 2,1 milhões compareceram às escolas, segundo dados divulgados pelo governo na quarta-feira (04/08).

Publicidade

Publicidade

Além disso, quase 25% das escolas públicas de São Paulo receberam todos os alunos matriculados no primeiro dia de retorno das aulas presenciais, apesar de a vacinação contra a covid-19 sequer ter começado para menores de 18 anos.

aulas presenciais são paulo
Mais da metades dos estudantes paulistas já voltaram para aulas presenciais. Foto: Marcello Casal Jr./EBC

Ainda de acordo com o governo de São Paulo, menos da metade dos profissionais da educação já completou a vacinação com a segunda dose ou dose única. Ao todo, 110 mil servidores completaram a imunização contra a covid-19, o que representa 44% dos profissionais.

Já em relação à primeira dose, o número chega a 240 mil servidores da rede estadual, 96% do quadro geral. Entretanto, especialistas afirmam que apenas com a segunda dose que se garante a eficácia da vacina.

Publicidade

Publicidade

Quanto aos 4% de servidores que ainda não se vacinaram, as regras definem que mesmo quem optar por não se vacinar dentro do prazo original terá que trabalhar em regime presencial. Nesse caso, as únicas exceções são as pessoas que fazem parte de grupos de risco.

Quando se leva em conta todas as redes de educação básica do Estado (municipais, estadual, federal e particular), 910 mil profissionais já receberam ao menos uma dose da vacina, e quase 340 mil completaram a imunização.

Em nota, o governador João Dória (PSDB) afirmou que São Paulo foi o primeiro estado a imunizar professores e servidores da educação e também retomar as aulas de forma segura.

Veja também: 9 estados reiniciam aulas presenciais nas escolas

Retomada das aulas presenciais em São Paulo: como está funcionando?

As escolas paulistas já podem operar com capacidade máxima, ou seja, com 100% dos alunos em regime presencial. Mas para isso é preciso garantir distanciamento de no mínimo 1 metro entre as carteiras. Antes, a exigência mínima era de 1,5 metro.

Além disso, alguns requisitos seguem valendo para todas as escolas, independentemente do número de alunos, como o uso obrigatório de máscaras por parte de estudantes e servidores, de álcool em gel e de equipamentos de proteção individual por parte de todos os funcionários.

Publicidade

Publicidade

No caso das escolas que não tiverem condições de respeitar o distanciamento mínimo com todos os alunos presentes, é possível usar o esquema de rodízio para permitir que todos os matriculados possam comparecer presencialmente.

Somente as creches não podem receber 100% dos alunos, sejam elas públicas ou privadas. Nesse caso, o limite é de 60% das crianças matriculadas por dia, quase o dobro dos 35% anteriores.

Na capital paulista, a prefeitura de São Paulo informa que cada escola decidirá se tem condições de atender todos os alunos nas aulas presenciais ou precisa adotar o sistema de rodízios.

Além disso, a participação presencial na cidade segue sendo facultativa para os pais nos ensinos infantil, fundamental e médio. Sendo assim, são os pais e responsáveis que decidem se os filhos voltam à escola ou seguem no ensino à distância. A norma vale tanto para escolas públicas quanto particulares.

Publicidade

No caso do ensino superior, as instituições de São Paulo poderão receber até 60% dos alunos para aulas presenciais. Apenas os cursos da área de saúde podem receber 100% dos estudantes matriculados.

Publicidade

Veja também: São Paulo sanciona lei que garante auxílio-aluguel para mulheres vítimas de violência domèstica

Quais cuidados tomar na prevenção à covid-19?

Desde o início da pandemia no ano passado, especialistas destacam uma série de cuidados para se prevenir contra o novo coronavírus. E mesmo com o avanço da vacinação, as medidas de prevenção continuam sendo necessárias. Entre elas, as principais que podemos destacar são:

  • Lavar as mãos com frequência, com água e sabão ou álcool 70%;
  • Evitar tocar nos olhos, boca e nariz com as mão não lavadas;
  • Manter distância de cerca de 2m de outras pessoas;
  • Usar máscara constantemente, cobrindo toda a boca e o nariz;
  • Cobrir tosses e espirros com um lenço de papel ou com a parte interna do cotovelo;
  • Sempre limpar e desinfetar superfícies tocadas com frequência;
  • Ficar alerta com os sintomas da covid-19.

Além disso, a principal medida para vencer o novo coronavírus é a vacinação em massa da população, que as poucos começa a apresentar resultados. Em São Paulo, por exemplo, houve queda de 44% na taxa de internação por covid-19 após avanços na vacinação.

Publicidade

Publicidade

Fonte: G1.

Felipe Matozo
Jornalista formado pelo Centro Universitário Internacional Uninter, repórter do Jornal O Repórter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedin

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário