INSS: após dois meses, servidores aceitam acordo e encerram greve

INSS: após dois meses, servidores aceitam acordo e encerram greve
Servidores do INSS retornam ao atendimento após fim da greve. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) voltaram ao atendimento nas unidades do órgão nesta segunda-feira (23/05), após uma greve que durou dois meses.

No acordo assinado no Ministério do Trabalho e Previdência, os servidores se comprometeram a repor os dias de paralização para agilizar a concessão de benefícios e a análise de processos.

Publicidade

Publicidade

De acordo com o INSS, a compensação será feita seguindo um plano de trabalho que deve ser construído nos próximos dias.

Atendimento do INSS volta ao normal com o fim da greve

INSS: após dois meses, servidores aceitam acordo e encerram greve
Servidores do INSS retornam ao atendimento após fim da greve. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Segundo o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, a assinatura do acordo com os servidores do INSS permite retomar a capacidade de atendimento. Com isso, o ministro afirmou que a expectativa é encurtar a espera dos segurados por um benefícios.

De acordo com o presidente do INSS, Guilherme Serrano, o instituto destinará todos os esforços no sentido de agilizar as entregas aos segurados da Previdência Social. Serrano declarou que o INSS irá trabalhar para normalizar o atendimento mais rápido possível em todo o país.

Publicidade

Publicidade

Em março, a fila de pedidos de benefícios previdenciários aguardando análise ou concessão passou de 1,7 milhão, segundo o boletim estatístico da Previdência Social.

Além disso, o tempo médio de concessão dos benefícios estava em 80 dias, sendo que no Amapá a espera média chegava a 149 dias.

Acordo atendeu demandas dos servidores

O acordo que levou ao fim da greve atendeu a demandas dos servidores do INSS relacionadas à valorização da carreira.

Além disso, o acordo também prevê a criação de um comitê permanente para aprimorar o programa de gestão e dos processos de trabalho dos serviços previdenciários. Nesse caso, o comitê deve ter participação igual de representantes de carreira o INSS e poder deliberativo para apresentar propostas à presidência da autarquia.

Veja também: Greve do INSS – afetados pela paralisação devem reagendar serviços já marcados; veja o passo a passo

Felipe MatozoJornalista, ator profissional licenciado pelo SATED/PR e ex-repórter do Jornal O Repórter. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
Veja mais ›
Fechar