PIX Cobrança: Ferramenta irá começar a funcionar a partir de maio

O Banco Central voltou a adiar a implementação do Pix Cobrança, ferramenta com a qual será possível cobrar valores com vencimentos em datas futuras. Pela proposta inicial, o início das operações da nova funcionalidade do Pix seria em janeiro, mas após novo adiamento a data prevista para seu funcionamento é 14 de maio.

O Planalto publicou a instrução normativa com a nova data no Diário Oficial da União na segunda-feira (15/03), data em que o Pix Cobrança entraria em operação.

Com a ferramenta para pagamentos com vencimento, empresas e microempreendedores poderão gerar um código QR para transações em data futura. Dessa forma, o Pix Cobrança funcionará como uma espécie de boleto, oferecendo mais uma facilidade para os usuários do sistema.

pix cobrança

Desde que foi lançado em 16 de novembro, o Pix já oferece a possibilidade de gerar um código QR para pagamentos, mas a transferência de valores deve ser imediata. Por isso a nova ferramenta trará um diferencial para o uso do Pix em compras, por exemplo.

Vale lembrar que o sistema de pagamentos instantâneos do BC permite transferir valores entre contas bancárias 24 horas por dia e sete dias por semana. Além disso, as operações levam até 10 segundo e não têm custos para pessoas físicas. Esses diferenciais em relação aos formatos antigos, como TED e DOC, fizeram a ferramenta ganhar grande popularidade em pouco tempo.

Para utilizar o Pix, o usuário só precisa cadastrar chaves eletrônicas no aplicativo do seu banco. A chave pode ser seu endereço de e-mail, número de telefone, CPF, CNPJ (no caso de empresas) ou uma chave aleatória gerada pelo sistema.

O Banco Central não informou o motivo do novo adiamento. Mas segundo a instrução normativa publicada no Diário Oficial, quem já oferece o Pix Cobrança terá até 30 de abril para concluir as fases de validação de códigos QR.

Veja também: PIX – Entenda os novos limites de pagamento e transferência pelo serviço!

Além do Pix Cobrança, ferramenta terá outras funções novas em 2021

A expectativa para este ano é que o Pix tenha mais algumas funcionalidades novas, algumas já neste primeiro semestre. Uma das mais esperadas é a Conta Salário no Pix, que deve facilitar a vida de muitos empregadores.

Com a ferramenta, as empresas poderão depositar os salários do funcionários sem precisar de DOC e TED. Para os trabalhadores, não será necessário pagar alguma taxa para transferir valores para a conta salário do Pix. Mas segundo o BC, ainda não há previsão para incorporar a conta salário no Pix.

Para o Conselho Regional de Contabilidade do Ceará (CRCCE), a nova funcionalidade deve ser uma forma melhor de relação entre empresas e funcionários. Segundo Eliezer Pinheiro, vice-presidente de Ações Institucionais do CRCCE, o Pix revoluciona os meios de pagamento, pois nos atuais formatos de transferência há custos para empresas e empregados, e os valores nem sempre entram na conta no mesmo dia.

“Para empresas o custo não é zero como para pessoas físicas, mas é significativamente menor do que em outras transferências. A grande vantagem para a empresa é o menor custo. E a grande vantagem para os empregados é o depósito instantâneo na conta”, explica Eliezer ao site Diário do Nordeste.

Para o Banco Central, o Pix é meio mais eficiente para empregadores, pois oferece benefícios como o acesso a recursos financeiros a qualquer momento e a possibilidade de movimentar valores de forma eletrônica, o que diminui os riscos.

Eliezar ainda acrescenta que o usuário não precisa ter uma conta em algum banco específico, pois transferências por Pix podem ser entre bancos diferentes sem que haja custos extras, e que o pagamento por QR Code oferece mais uma vantagem.

Mais novidades do Pix previstas para 2021

A lista de novas funcionalidades que devem ser incluídas ao Pix a partir deste ano ainda com mais oito recursos:

  • Saque Pix: esta função propõe tirar a necessidade de sacar dinheiro em caixas eletrônicos. Com ela, o usuário poderá ir a um loja, transferir o valor desejado para o estabelecimento por meio do Pix, e depois sacar com o próprio lojista;
  • Estorno de recursos: uma das coisas que os usuários Pix mais apontam como problema é o fato de não poder “desfazer” uma transação. Com esta funcionalidade, será possível recuperar dinheiro em caso de fraude ou falha, por exemplo;
  • Integração com a agenda de contatos: ao sincronizar o Pix com sua agenda de contatos, o usuário saberá quais contatos utilizam o sistema;
  • Pix Garantido: função que permitirá parcelar valores pela ferramenta. A expectativa é que a funcionalidade fique disponível a partir do segundo semestre;
  • Pix por aproximação: ferramenta similar a de cartões de crédito por aproximação. Com ela, será possível debitar valores na conta do usuário com a tecnologia Near Field Communication (NFC);
  • Pix Débito Automático: funcionalidade para programar pagamentos recorrentes pelo Pix;
  • Iniciador de pagamentos Pix: permitirá que uma empresa autorize uma transação entre duas instituições em nome do usuário;
  • Pix em serviços de telefonia: permitirá que os usuários paguem boletos de cobrança de serviços de telefonia com o Pix.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter, repórter do Jornal O Repórter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário