Cartão de crédito: entenda se vale a pena pagar o valor mínimo da fatura!

Há meses em que a fatura do cartão de crédito está altíssima e o orçamento apertado, inviabilizando o pagamento do valor integral.

É justamente aí que muitos recorrem a uma solução fácil para evitar a perda do crédito e negativação de nome e CPF: o pagamento do valor mínimo da fatura.

Publicidade

Publicidade

Mas, será que vale a pena pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito? Aqui, respondemos essa dúvida de uma vez por todas. Confira!

mulher segurando cartão de crédito

O que é pagamento mínimo do cartão de crédito?

Trata-se do pagamento de uma porcentagem da fatura feito para evitar que fique em atraso, ocorra a perda de crédito e seu nome e CPF sejam negativados. O valor mínimo da fatura é estabelecido da seguinte forma:

  • 15% de compras realizadas no mês e 15% das compras que ficaram em aberto na fatura passada, se for o caso;
  • 100% de quaisquer lançamentos que não são compras, como saque, multa de atraso, juros e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras);
  • Valor inerente ao parcelamento da fatura, se foi feito anteriormente.

Quando paga um valor menor do que o total da fatura, mas maior do que o pagamento mínimo, entra-se no crédito rotativo.

Publicidade

Publicidade

O que é crédito rotativo do cartão de crédito?

O crédito rotativo é destinado a quem não consegue pagar sua fatura totalmente. O valor residual entra na fatura do próximo mês com acréscimo de juros e multas.

O grande problema do crédito rotativo é que possui os juros mais caros do mercado, tanto que pode ultrapassar 300% ao ano na maioria das instituições financeiras, aumentando a dívida significativamente.

Compensa pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito?

Não compensa e o motivo disso é simples: os juros e multas incidentes no valor residual da fatura são altíssimos. Além disso, esse valor em aberto é somado ao de novas compras, aumentando ainda mais a fatura.

Caso pague o mínimo novamente na próxima fatura, há uma nova incidência de juros e multas, fazendo com que dívida cresça muito e seja praticamente impossível quitá-la à vista.

Então, como proceder para pagar a dívida do cartão de crédito e evitar que seu nome e CPF sejam negativados? Neste caso, recomenda-se recorrer a alternativas de pagamento.

Alternativas ao pagamento mínimo do cartão de crédito

Existem alternativas ao pagamento mínimo do cartão de crédito que são mais interessantes porque os juros são menores. Veja, a seguir, o que você pode fazer para quitar o cartão de maneira econômica:

Publicidade

Publicidade

Parcele a fatura do cartão de crédito

O parcelamento da fatura do cartão de crédito é um acordo realizado com a instituição financeira. Nele, você informa que não conseguirá pagar o valor integral da fatura, mas se compromete a pagá-lo ao longo dos próximos meses.

Como se trata de um acordo, os juros são mais baixos do que os do crédito rotativo, portanto, você gastará menos por mês do que continuar quitando somente o mínimo.

Mas, lembre-se de um detalhe: além do valor da parcela, também há o de novas compras realizadas no cartão de crédito. Logo, é muito importante se programar financeiramente para conseguir pagar toda a dívida, evitando novos parcelamentos.

Publicidade

Para isso, deixe para usar o cartão de crédito somente quando for necessário, ou seja, não puder pagar à vista. Se todo o seu orçamento já estiver comprometido, revise suas contas e veja quais gastos supérfluos pode cortar para ter dinheiro para pagar à vista e não ficar tão dependente do cartão de crédito.

Publicidade

Pegue empréstimo

Ao optar pelo pagamento mínimo da fatura do cartão de crédito, a dívida cresce muito a ponto de ser quase impossível quitá-la. Em situações assim, uma alternativa é pegar um empréstimo para pagar a dívida do cartão à vista.

Em pagamentos à vista é possível obter descontos, ou seja, gastará menos do que o valor total do débito. Além disso, o empréstimo conta com a vantagem de ter taxas de juros menores.

Na prática, isso significa que você substituirá uma dívida por outra, porém com taxas menores. Logo, pagará menos. Mas, não pegue empréstimo com o primeiro banco que tentar, o ideal é fazer cotações em mais de uma instituição financeira.

Publicidade

Publicidade

Dessa forma, será possível realizar o empréstimo com o banco que oferece as melhores condições de pagamento, bem como as melhores taxas de juros.

Flavio Carvalho
Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.
FacebookLinkedinTwitter

Participe dos nossos grupos

WhatsappWhatsApp

Entre no Grupo e receba as notícias do dia

TelegramTelegram

Entre no Canal e receba as notícias do dia

FacebookFacebook

Curta nossa Página e receba as notícias do dia

Deixe seu comentário