Programa Merenda em Casa – Benefício paulista auxilia estudantes da rede estadual

Estudantes da rede estadual de ensino de São Paulo começaram a receber o benefício do programa Merenda em Casa na última quarta-feira (07/04). A iniciativa oferece um auxílio mensal de R$ 55 por aluno, e irá contemplar 920 mil estudantes do Estado.

O programa é voltado a famílias de todo o Estado de São Paulo em situação de pobreza que estão cadastradas no Cadastro Único de programas sociais (CadÚnico). Dessa forma, família que não fazem parte do Bolsa Família também podem participar do Merenda em Casa, desde que tenham renda mensal de até R$ 178 por pessoa.

Além disso, as famílias participantes devem ter filhos matriculados na rede estadual de ensino, sendo que é pago um benefício para cada criança ou adolescente e não há limite de subsídios por família. Em 2020, o Governo de São Paulo pagou nove parcelas do programa para 720 mil estudantes.

programa merenda em casa

Segundo o Governo de São Paulo, não é necessário se cadastrar para receber o benefício, pois os estudantes contemplados já estão inscritos no CadÚnico. O governo estadual explica que há mensagens circulando no WhatsApp pedindo para as pessoas realizarem um cadastro, mas isso é um golpe para roubar informações.

Para as famílias beneficiárias do Bolsa Família com filhos matriculados na rede pública estadual e inscritos no CadÚnico, a participação no Merenda em Casa também está garantida.

Para consultar a situação cadastral no CadÚnico e checar se as informações sobre sua família estão atualizadas e confirmar o direito ao benefício, basta acessar o aplicativo “Meu CadÚnico”. Quem preferir um atendimento presencial pode marcar horário no CRAS do seu município para confirmar o cadastro no programa.

O Governo de São Paulo informa que irá investir R$ 50,6 milhões por mês para financiar o Merenda em Casa. O benefício será pago enquanto as aulas presenciais seguirem suspensas.

Veja também: Auxílio em São Paulo – como solicitar cartão-alimentação e renda básica emergencial?

Pagamento do Merenda em Casa será por PicPay

Assim como já aconteceu em 2020, o governo do Estado irá pagar o benefício do Merenda em Casa por meio do aplicativo PicPay. Não há cobrança de taxa para acessar o benefício pelo aplicativo, e o passo a passo para receber o auxílio é o seguinte:

  1. Faça o download gratuito do aplicativo PicPay no seu smartphone. Basta pesquisar por “PicPay” na Google Play se o seu dispositivo for Android, ou na App Store se ele for iOS (Apple);
  2. Em seguida, crie uma conta/carteira no PicPay informando dados como nome, número de telefone, e-mail, CPF e data de nascimento;
  3. Na etapa seguinte o aplicativo irá pedir para o usuário validar a sua identidade. Para isso, é preciso enviar uma selfie e uma foto da carteira de habilitação ou CNH. Dessa forma, o PicPay pode garantir a segurança do usuário no aplicativo e confirmar a família como beneficiária do Merenda em Casa;
  4. Após esta confirmação, o usuário recebe o valor do benefício em sua conta PicPay em até quatro horas.

Os beneficiários do programa não precisam ter conta bancária ou cartão de crédito para receber o benefício. Além disso, é possível sacar o valor em um caixa da rede 24Horas ou transferir o dinheiro para outras contas. Não há taxa adicional por estas operações.

Se o período de suspensão das aulas for prolongado, o próximo benefício será depositado até o último dia útil do mês de referência.

Quem tiver direito ao benefício e não receber deve comunicar o problema. Para isso, basta ligar no telefone 0800 025 8000 ou entrar em contato pela opção “Ajuda” no menu “Ajustes” no aplicativo do PicPay.

Veja também: Auxílio emergencial – trocar de número ou de aparelho celular pode causar bloqueio no app Caixa Tem

Vacinação para professores de São Paulo começa em abril

Conforme dito acima, o Merenda em Casa será pago enquanto as aulas presenciais permanecerem suspensas. Uma das condições que podem permitir o retorno das aulas no Estado é a vacinação dos professores, que começa no próximo dia 12 de abril.

Junto com policiais, professores serão vacinados com prioridade em São Paulo a partir deste mês, conforme anunciado pelo governador João Dória (PSDB) em março. Terão direito à vacinação prioritária 350 mil profissionais que trabalham de creches ao ensino médio, tanto na rede pública quanto na rede privada.

Enquanto isso, o governo estadual lembra que mesmo com as aulas suspensas, as escolas estaduais continuam servindo as refeições para estudantes contemplados no Merenda em Casa. Além disso, as escolas também ficam abertas para entregar materiais e o chip de internet para os alunos.

Felipe Matozo
Estudante de Jornalismo no Centro Universitário Internacional Uninter, repórter do Jornal O Repórter e ator profissional licenciado pelo SATED/PR. Ligado em questões políticas e sociais, busca na arte e na comunicação maneiras de lidar com o incômodo mundo fora da caverna.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário